Entregador suspeito de matar adolescente é baleado em troca de tiros no Acre; criminoso foi preso

O entregador de gás Cleilson Vasconcelos Alves, 31 anos, foi ferido com um tiro na tarde desta segunda-feira (9), enquanto trabalhava em uma distribuidora localizada na rua Alan Vitor, no bairro São Sebastião, na região da Baixada da Sobral, em Rio Branco.

Segundo informações da polícia, Cleilson estava próximo à motocicleta usada para trabalhar e se preparava para fazer uma entrega, quando o acusado de participar no crime, Cosmo Barroso da Rocha, 32 anos, chegou na distribuidora para receber a “mensalidade” que a facção criminosa Bonde dos 13 cobra dos comerciantes para continuarem trabalhando no local.

Cleilson estava armado e efetuou vários disparos contra Cosmo, que conseguiu correr sem ser atingido. O compara de Cosmo, identificado como Francisco Bezerra da Costa, 22 anos, vulgo “Lobinho”, revidou os disparos e conseguiu ferir Cleilson com um tiro no abdômen, sendo que o projétil transfixou o corpo da vítima. Cleilson correu para dentro da distribuidora, onde se abrigou e aguardou o socorro médico.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado e enviou uma ambulância de suporte avançado, que prestou os primeiros atendimentos e Cleilson foi estabilizado e encaminhado ao pronto-socorro de Rio Branco, em estado de saúde grave.

Policiais militares da Força Tática do 1° Batalhão estiveram no local e fizeram uma ronda ostensiva na região, e conseguiram prender ainda em flagrante Cosmo Barroso da Rocha, que estava nas ruas próximo à tentativa de homicídio. Já o comparsa dele Francisco Bezerra da Costa, que estaria com a arma que teve a troca de tiros, conseguiu fugir e não foi localizado.

Diante dos fatos, Cosmo recebeu voz de prisão e foi encaminhado na Delegacia de Flagrantes (Defla), onde pode responder pelo crime de tentativa de homicídio.

Cosmo foi preso e levado à delegacia

Crimes relacionados a essa ocorrência na Baixada da Sobral

Cleison Vasconcelos Alves é suspeito de ter executado com três tiros o adolescente Saymon Medeiros da Silva Freitas, de 16 anos, no dia 24 de novembro, na rua Alan Vitor, no Bairro São Sebastião, na região da Baixada da Sobral.

Antes de ser morto, Saymon estava pichando o muro de algumas residências com o nome da facção PCC e cobrindo o nome da organização que ele tinha saído, que era o Bonde dos 13. Cleilson não gostou da atitude do adolescente e matou o rapaz com três tiros nas regiões do abdômen e da cabeça.

Já no dia 27 de dezembro, Cleilson tentou matar Francisco Bezerra da Costa, vulgo “Lobinho”, na entrada do bairro Boa União, na região da Baixada da Sobral. A própria vítima contou que estava saindo da própria residência indo buscar peças para consertar um celular, quando percebeu que Cleilson estava lhe seguindo em outra moto.

“Lobinho”

Ao parar em um semáforo na entrada do bairro Boa União, Cleilson parou logo atrás e levantou a camisa e sacou uma arma da cintura. A vítima furou o sinal, mas ainda foi atingida por cerca de seis tiros, que atingiram o braço esquerdo dele e atingiu o para-brisa de uma carreta que estava descarregando produtos agropecuários na frente de uma empresa.

“Lobinho” sentiu que estava ferido e conseguiu ainda fugir do atirador e pilotar a moto até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Baixada da Sobral, onde pediu ajuda e foi atendido no setor de Emergência da Unidade de Saúde, e depois do atendimento, voltou pilotando para casa. Ao passar na entrada do Boa União, o homem viu a Polícia Militar e parou para informar o que tinha acontecido.

Francisco disse à reportagem que prestou queixa na polícia após um “salve” (tipo de informativo das facções criminosas) ser divulgado com o nome dele, informando que ele tinha armas para vender a faccionados. Segundo ele, o tal “salve” é falso, porém, as facções Comando Vermelho (CV), Bonde dos 13 (B13) e Primeiro Comando da Capital (PCC) acharam ser real e estaria tentando lhe matar.

No dia 5 de setembro, Francisco usou um programa televisivo local para denunciar que policiais militares agrediram ele em busca de armas e, na ocasião, um PM foi afastado das funções e estava respondendo na corregedoria.

Na época, os policiais que foram acusados estavam no dever constitucional de procurar as armas que Lobinho supostamente estava guardando em sua casa. Lobinho possui passagem pela polícia por diversos crimes e chegou a gravar vídeo no YouTube enaltecendo uma facção criminosa do Acre. No vídeo, ele aparece afrontando uma facção rival e fazendo apologia ao crime.

FONTENa Hora da Notícia
COMPARTILHAR