Em um ano, mais 100 celulares foram apreendidos no presídio de Sena Madureira

O intenso trabalho de fiscalização promovido pela Polícia Penal de Sena Madureira impediu a entrada de inúmeros aparelhos celulares no presídio Evaristo de Moraes. Segundo levantamento divulgado nesta segunda-feira (9), ao longo de 2022 foram apreendidos 130 celulares endereçados aos reeducandos de Sena.

A esmagadora maioria das ocorrências foi verificada na muralha. Infratores que estão do lado de fora realizaram dezenas de lançamentos de celulares por cima da proteção, porém, nenhum chegou às mãos dos apenados, em face da fiscalização.

“Além da fiscalização na muralha, temos também o procedimento na entrada da unidade nos dias de visitas. Contamos com o Body scan (scanner corporal), detector de metal e raio x, ferramentas importantes para detectar qualquer ilícito em poder dos visitantes. A fiscalização continuará ocorrendo”, destacou Francisco de Assis, diretor do presídio de Sena Madureira.

Mesmo com todas as ações desenvolvidas, os reeducandos continuam aliciando os visitantes e pressionando infratores que estão em liberdade para tentar entrar com celulares. Ontem mesmo, os policiais penais conseguiram apreender mais 10 comunicadores que foram arremessados por cima da muralha.

OUTRAS APREENSÕES FEITAS EM 2022

Armas brancas: 22

Baterias: 16

Carregadores: 41

Vale destacar que houve ainda a interceptação de drogas na entrada do presídio.

Na hipótese do produto ilícito estar em poder de visitantes, estes tem a carteira de visita suspensa por cinco anos além de responder processo judicial.

COMPARTILHAR