Índio fica em estado grave após travar luta contra onça pintada

Mesmo ferido gravemente, José Latundê andou por vários quilômetros

Foi trazido para o Hospital Regional de Vilhena na noite desta sexta-feira, 20, o indígena José Torto Latundê. Ele tem 67 anos e sobreviveu ao ataque de uma onça pintada dentro da Terra Indígena Tubarão Latundê, em Chupinguaia.

O FOLHA DO SUL ONLINE entrevistou Luiz Latundê, sobrinho de José, que o encontrou ferido na estrada, após o ataque do felino. Antes de desmaiar, a vítima deu detalhes do combate mortal que travou contra a onça.

Segundo o relato de José ao sobrinho, ele havia saído ne manhã daquele dia para caçar jacarés numa área à cerca de 40 km da aldeia onde vive. Ao encontrar uma árvore caída, ele percebeu que ela era oca.

E foi justamente de dentro da árvore que saiu o felino, que o atacou ferozmente. Ele se defendeu como pode e o animal se afastou por alguns metros. Foi só o tempo dele colocar um cartucho na espingarda e a onça avançou novamente, cravando garras e presas em seu corpo.

Mesmo ferido, José conseguiu disparar um tiro a curta distância no peito do animal, que morreu na hora.

Sangrando intensamente, o idoso indígena ainda conseguiu caminhar por vários quilômetros e chegar à estrada.

O sobrinho, que vinha de moto com a filha deixou a menina cuidando do ferido e foi até a aldeia, onde relatou o ocorrido.

Um veículo da Sesai, que presta serviços na Terra Indígena, levou o ancião, que é casado e tem cinco filhos, até Chupingaia, onde ele recebeu o primeiro atendimento médico. De lá, ele foi trazido para Vilhena.

 

Fonte: Folha do Sul

COMPARTILHAR