VÍDEO: assaltantes invadem loja em Cruzeiro do Sul e deixam prejuízo de 35 mil reais

Na tarde deste último sábado (24), a loja W2 Magazine, localizada no bairro Aeroporto Velho, em Cruzeiro do Sul, sofreu seu segundo assalto, isso tudo em menos de 6 meses.

Contudo, dessa vez, os assaltantes foram mais ousados e agressivos, entraram na loja, armados com revólveres, renderam duas vendedoras com violência e uma cliente, e levaram jóias, celulares, e cerca de 40 relógios, totalizando um prejuízo de 35 mil reais.

O dono da loja, lamentou a demora do flagrante, uma vez que as ligações do 190 estão sendo direcionadas primeiramente para Rio Branco, o que gera um sentimento de insatisfação e até insegurança.

“O que gerou maior desconforto e insatisfação foi a demora dos PMs, um dos motivos da demora foi a ligação do 190 que hoje é destinada à Rio Branco e depois direcionada de volta. Para termos a ideia do absurdo, os policiais na hora da ligação estavam posicionados na escola Juscelino Kubitschek, a menos de 2 quilômetros da loja, se houvesse rapidez nessa comunicação os assaltantes poderiam ter sido pegos em flagrante, pois ficaram aproximadamente 6 à 8 minutos na loja”, disse.

Segundo o proprietário da loja, os próprios PMs chegaram a comentar que após essa mudança, nunca mais conseguiram realizar flagrantes em decorrência da demora na comunicação, sendo um fato que precisa ser analisado pelas autoridades responsáveis.

Os assaltantes fugiram, e ainda não foram localizados.

Desde o início do mês de fevereiro, as ligações do 190 e 193 são direcionadas para Rio Branco onde são atendidas por uma equipe e redirecionares. De acordo com o coordenador de Comando e Controle de Operações da Polícia Militar, Capitão Joel Barbosa, as mudanças servem para unificar e centralizar em Rio Branco, e assim padronizar o atendimento.

“Mudamos para unificar e centralizar em Rio Branco e assim padronizar o atendimento. Antigamente o morador ligava no 193 e a ligação caiu no quartel, na guarda, quem atendia era um PM e mandava uma viatura, agora conseguimos me mandar tudo para cá. Antes a população não conseguia registrar algumas ocorrências, porque tinha um só policial para atender. Aqui em Rio Branco temos vários pontos de atendimento cerca de 28 pontos por dia. Esses pontos são linhas telefônicas disponíveis”, disse.

 

Via O Juruá Em Tempo

COMPARTILHAR