Delegado Obetânio começa ouvir depoimentos de envolvidos em festa no ramal do batoque

O delegado da Polícia Civil de Mâncio Lima, José Obetânio, inicia depoimentos de participantes do recente escândalo da festa da pandemia que aconteceu numa chácara, no último final de semana, com mais de 200 pessoas que infringiram o decreto da Covid-19 que proibia uso de balneários públicos e particulares como forma de prevenção da contaminação da doença.

Vários vídeos da farra que circularam nas principais redes sociais expuseram o crime cometido pelo grupo que segundo as informações comemoraram um aniversário na chácara do município de Mâncio Lima com grande aglomeração, uso de bebidas alcoólicas e a Polícia Civil investiga o uso de drogas e a presença de menores.

Nesta quarta-feira (05) o delegado Obetânio, linha dura com criminosos, destaca a situação como muito grave e segundo sua avaliação o grupo envolvido na bagunça, inclusive o proprietário da chácara, cometeram pelo menos quatro crimes – contra a saúde pública, uso de drogas, corrupção de menores e desobediência ao Decreto Governamental.

As penas somadas, segundo Obetânio, podem resultar em prisões. “Todos vão pagar na forma da lei. Vamos identificar e responsabilizar os que promoveram e participaram da festa e penalizar de acordo com o rigor da lei. Cada um responderá perante a Justiça por seus atos e não haverá impunidade”, garantiu o delegado.

Na manhã desta quinta-feira (06) o delegado José Obetânio informou que já foram expedidos mais de 50 Mandados de Intimação e as primeiras oitivas já foram iniciadas. “Os agentes da Polícia Civil começaram a intimar os envolvidos na festa que moram em Cruzeiro do Sul e vamos agir com os rigores da lei com os que participaram direta ou indiretamente do evento”, afirma Obetânio.

Fonte : Voz do Norte

 

COMPARTILHAR