Preço da castanha cai no Acre e produtores reclamam: “Enfrentamos dificuldades”

Quem enfrenta os perigos da floresta para extrair o produto está desmotivado e considera baixo o valor atual

Vários empresários de Sena Madureira já deram início a compra da castanha, um dos principais produtos da economia local. Por enquanto, a lata da castanha está sendo comprada a 30 reais, bem menor do que o preço praticado no ano passado.

Quem enfrenta os perigos da floresta para extrair o produto está desmotivado e considera baixo o valor atual. “Enfrentamos muitas dificuldades e os perigos da floresta. O preço atual nos desagrada, mas esperamos que possa melhorar futuramente”, comentou o quebrador de castanha Francisco Rezende, morador do rio Purus.

O empresário Salim que atua há 23 anos como comprador de castanha em Sena Madureira explica que alguns fatores são determinantes para o preço atual. “A questão é que os locais para onde é feita a exportação da castanha estão abastecidos. Sendo assim, no momento, não tem como aumentar o preço. Estamos trabalhando para que esse valor não baixe mais”, enfatizou.

Países como Bolívia e Peru que absorvem a castanha Acreana não estão mais requisitando grandes quantidades. O Peru, em particular, por conta da crise política instalada.

Vale frisar que neste ano o preço da lata da castanha em Sena Madureira já chegou a 40 reais. Depois baixou para 35 e hoje está em 30 reais. “Predomina muito a lei da oferta e da procura. Em 2019, para se ter uma ideia, a lata da castanha chegou a ser comprada por 13 reais”, relembrou Salim.

Em diversas partes da zona rural de Sena Madureira há trabalhadores quebrando castanha e a expectativa é de que nos meses seguintes grandes quantidades sejam trazidas para a zona urbana.

FONTEContilnet
COMPARTILHAR