Por que Chicão ainda é a maior ameaça a um possível sucessor no grupo de Isaac?

Olá meus caros leitores, estamos de volta com a nossa coluna política local. A partir da presente data desta publicação, buscaremos produzir conteúdo com esse tema de forma mais frequente, pois é um assunto que para quem o aprecia assim como este redator, é prazeroso e deveras interessante.

Deixando a formalidade da apresentação de lado, vamos falar do nosso assunto de hoje que se trata do maior adversário da situação neste presente momento.

Chicão da Distribuidora, ou apenas Chicão como é mais conhecido, foi o 2° candidato mais votado da última eleição municipal de 2020, obtendo uma votação surpreendente na época, muito em conta da inelegibilidade da candidata Silene Siqueira no meio da corrida eleitoral, ela liderava as intenções de votos nas pesquisas que anteciparam as eleições daquele ano.

Como o empresário não tinha nada a ver com isso, subiu nas pesquisas e viu sua campanha decolar e se tornar a principal ameaça a reeleição de Isaac Lima que vinha a se concretizar posteriormente.

Mesmo não obtendo êxito em 2020, Chicão não se saiu mal para um estreante que nunca havia colocado seu nome em nenhuma disputa. Pois apesar de ser um empresário conhecido no Centro do município, ainda era desconhecido no restante da cidade e contava com uma conjuntura partidária que não o ajudava, tendo como vice, uma ex-secretaria da gestão de Cleidson Rocha, que assim como o ex-prefeito, não gozava de boa popularidade e atraia um certo olhar de desconfiança dos eleitores.

Não só tendo que vencer o desgaste partidário da cúpula do MDB, o comerciante viu um de seus principais cabos eleitorais que vinha a se eleger vereador posteriormente, se debandar para o lado do adversário e ironicamente pedir voto para Isaac mesmo pertencendo a um partido de oposição.

Em meio a tantos empecilhos, Chicão saiu derrotado nas urnas e manteve a sina das eleições de Mâncio Lima, que de forma recorrente, a situação sempre leva a reeleição quando ouve dois ou mais candidatos de oposição.

Entretanto, apesar da derrota, o comerciante se fortaleceu e projetou seu nome, que antes era desconhecido para maioria dos eleitores. Hoje, muito em conta do período do fim do 2°mandato de Cleidson, o MDB perdeu parte da rejeição que antes havia em uma quantidade mais evidente, e este é o partido que o empresário pretende tentar novamente o executivo municipal nas eleições de 2024.

Pessoas mais próximas, falam que Chicão é extremamente partidário, e por conta desse “amor” ao MDB dificulta ensaiar uma conjuntura com outros grupos locais, muito se fala de figuras que queriam subir no mesmo palanque do empresário. Dentre os nomes está um dos vereadores do PP, um “articulador financeiro” do grupo de Isaac e outros nomes que a coluna irá divulgar nas próximas matérias.

Porém, com todo esse assédio, o comerciante parece ter deixado a campanha para o futuro, e como todo bom brasileiro deixar para cima da hora. Acontece que desde o fim das últimas eleições de outubro do ano passado, quando trabalhou com a família Sales e com Mara Rocha, ele não tem feito mais aparições públicas. Seja por falta de assessoria ou por inexperiência política, ele vai deixando de alimentar um potencial enorme e devendo sempre se lembrar que o seu partido não conta mais com o mesmo poderio regional depois das derrotas dos Sales nas últimas duas campanhas.

  • Opinião de Alex W.
    Escreve às quintas-feiras no Mâncio Lima em Foco sobre Política.

Os textos do colunista não expressam, necessariamente, a opinião do Mâncio Lima em Foco.

COMPARTILHAR