Balneário é fechado após dezenas de banhistas serem atacados por piranhas

Após dezenas de banhistas serem atacados por piranhas no Balneário Municipal “Miguel Jorge Tabox”, localizado em Três Lagoas (MS) – a 326 quilômetros de Campo Grande, o local está fechado por tempo indeterminado.

Ao g1, a coordenadora do balneário municipal, Nathalia Leite, informou que o local foi fechado após diversos ataques de piranhas dentro da área de banho. Segundo ela, entre as vítimas estão crianças.

“Em dezembro tivemos 20 casos no mês e por isso medidas estão sendo tomadas. Os banhistas sabem que no rio está sujeito a esse tipo de ataque, mas 2022 foi o ano que mais tiveram registros”.

 Balneário de Três Lagoas é fechado por tempo indeterminado — Foto: Reprodução
Balneário de Três Lagoas é fechado por tempo indeterminado — Foto: Reprodução

A coordenadora explicou que as piranhas atacam como forma de proteger os filhotes. “Não tivemos nenhum acidente grave, mas as medidas estão sendo tomadas como forma de atenção. As piranhas atacam para se defender. Vamos continuar fechados para fazer a manutenção dos rios e melhorar as telas de proteção”.

Sobre as piranhas

Ao g1, o professor e pesquisador da Unesp Vidal Haddad Junior, explicou que as piranhas vivem em cardumes, mas não adotam nenhuma estratégia coletiva para caçar. A formação de grupos é uma estratégia de defesa; movem-se agrupadas para se protegerem dos predadores.

As piranhas são famosas por devorar carne, de pequenos insetos até mamíferos muito maiores que elas, mas também se alimentam de sementes e outros materiais, vegetais que são encontrados no fundo do rio.

O pesquisador descreve que os ataques fatais são raros e normalmente tudo fica em uma só mordida, como uma beliscada, nos pés ou nas mãos.

COMPARTILHAR