Acusado de matar professor degolado no Acre tem júri marcado para segunda-feira (4)

Raimundo da Silva Alventino responde pelo crime de homicídio qualificado e furto. Crime ocorreu em setembro de 2019 no bairro Belo Jardim, em Rio Branco.

A Justiça marcou para a próxima segunda-feira (4) o júri popular de Raimundo da Silva Alventino, que é acusado pela morte do professor José Augusto de Freitas, de 56 anos, em setembro de 2019, em Rio Branco. O julgamento ocorre na 1ª Vara do Tribunal do Júri.

O corpo do professor foi encontrado dentro da casa onde morava no Ramal da Judia, bairro Belo Jardim, região do Segundo Distrito de Rio Branco, sem roupas e degolado.

O corpo do professor foi encontrado dentro da casa onde morava no Ramal da Judia, bairro Belo Jardim, região do Segundo Distrito de Rio Branco, sem roupas e degolado.

O acusado responde por homicídio qualificado por meio cruel e recurso que dificultou a defesa da vítima e pelo crime de furto.

Entre em um dos nossos grupos do Whatsapp e fique por dentro do que acontece no nosso município e em nosso Estado. [clique aqui]

O caso está em segredo de Justiça. O g1 entrou em contato com a defesa de Alventino, mas não obteve resposta até última atualização desta reportagem.

Professor de 56 anos foi encontrado morto dentro da casa em setembro de 2019, em Rio Branco — Foto: Reprodução/WhatsAppProfessor de 56 anos foi encontrado morto dentro da casa em setembro de 2019, em Rio Branco — Foto: Reprodução/WhatsApp

Alventino foi preso em abril do ano passado na região do Calafate, em Rio Branco, após quase dois anos do crime. A Polícia Civil chegou a prender o suspeito em dezembro de 2019, porém, ele foi solto após cumprir sua pena temporária em regime fechado.

Conforme denúncia do Ministério Público do Acre (MP-AC), pelo que foi apurado pela polícia, a vítima tinha relações sexuais com o denunciado em troca de valores financeiros. E, durante a noite, o professor acabou sendo atacado pelo denunciado, que o espancou com vários golpes pelo corpo, vindo a degolá-lo.