Igor Araújo, Gestor do Sebrae e cinegrafista estavam entre os retidos na aldeia dos Nawa

O chefe do Departamento de Turismo da prefeitura de Mâncio Lima, Igor Araújo, o gestor de Projetos do Sebrae, Marcos Maciente, o repórter cinematográfico Beto Oliveira, em missão pelo Imac e Oziel, Viviani e Francismay, da secretaria de Turismo e Empreendedorismo do Acre, estão entre os servidores públicos que haviam sido retidos pelos índios Nawa no último domingo, 18.

Eles ficaram retidos na aldeia indígena dos Nawa durante protesto pela demarcação de terras, próximo à Serra do Divisor. Os Nawa esperam pela demarcação da terra há 22 anos e denunciam constantes invasões e retirada ilegal de madeira no local. A terra fica no entorno do Parque Nacional da Serra do Divisor.

Com a liberação do grupo, a Polícia Federal, que havia sido acionada pela Funai e ICMBio, abortou a ida ao local.

Esta não é a primeira vez que os Nawa retém uma equipe de servidores na terra indígena. A primeira vez foi no dia 15 de julho de 2015, quando servidores e colaboradores do ICMBio, que passavam pelo local, foram impedidos de sair também em reivindicação pela demarcação.

Na época, ficaram retidos, durante três dias o gestor do Parque Nacional da Serra do Divisor, João Damasceno, o indígena Luís Nukini, coordenador regional da Funai e dois colaboradoras. Eles foram liberados no dia 18 de julho, quando houve promessa de solução quanto ao processo de demarcação, que não se concretizou, o que levou os Nawa a repetir a ação.

Com informações do Ac24horas

COMPARTILHAR