Beth Cameli diz que se Orleir Cameli estivesse vivo, ajudaria Gladson no combate a pandemia

Para marcar os 8 anos da morte do ex-governador Orleir Cameli, uma missa será celebrada neste sábado, 8, às 19h30min na Catedral Nossa Senhora da Glória, em Cruzeiro do Sul, terra natal do ex-gestor.

Durante o dia, a viúva Beatriz Cameli, o filho Linker e alguns funcionários foram ao túmulo dele no cemitério Jardim da Paz para fazer orações.

Orleir, que é tio do governador Gladson Cameli, morreu no dia 8 de maio de 2013, aos 64 anos, vítima de câncer no intestino. Ele foi eleito prefeito de Cruzeiro do Sul em 1992, permanecendo  no cargo 15 meses. Deixou o executivo municipal para se candidatar ao Governo do Acre e foi eleito em 1994, sendo governador entre 1995 a 1999. Não se candidatou à reeleição.APara marcar os 8 anos da morte do ex-governador Orleir Cameli, uma missa será celebrada neste sábado, 8, às 19h30min na Catedral Nossa Senhora da Glória, em Cruzeiro do Sul, terra natal do ex-gestor.

 

 

“Durante a história do desenvolvimento acreano, os gestores deram sua contribuição de uma ou outra maneira de acordo as necessidades de cada época. Orleir demonstrou uma extraordinária força para exercer trabalhos nos setores da educação, saúde, segurança e infraestrutura, como por a exemplo a BR-364 e na BR-317, que uniria quase todos os 22 municípios da federação. Se ele estivesse entre nós, lamentaria muito o momento dramático da pandemia, mas estaria unido a seu sobrinho governador Gladson Cameli, dando sugestões e fazendo parcerias para minorar tanta tristeza e desalento. Com a inauguração da Ponte sobre o Rio Madeira ocorrida ontem, dia 7 de maio no estado de Rondônia, para ele, como está sendo para todos os acreanos, seriam momentos de grande júbilo e esperança para futuros projetos e assim alavancar a economia tanto privada como estatal”, avalia.

 

  • Ac24horas
COMPARTILHAR